NOVA EXIGÊNCIA DA UE ABRE RISCO TRIBUTÁRIO - Camargo Adv NOVA EXIGÊNCIA DA UE ABRE RISCO TRIBUTÁRIO - Camargo Adv

NOVA EXIGÊNCIA DA UE ABRE RISCO TRIBUTÁRIO

Uma norma tributária recém-implementada pela União Europeia abre risco de multas milionárias para empresas brasileiras com algum tipo de operação no bloco ou mesmo que exportam para lá. Conhecida como DAC 6, por tratar-se da sexta revisão de um conjunto de diretrizes para cooperação fiscal na UE, ela mira arranjos transfronteiriços que possam constituir prática de planejamento tributário “agressivo”.

A norma obriga companhias e intermediários – como bancos, escritórios de advocacia, despachantes aduaneiros, firmas de contabilidade e auditoria – a reportar operações que tenham gerado vantagens fiscais. Vale para empresas europeias, mas também para multinacionais com subsidiárias no bloco ou grandes exportadores que usem “traders”.

Frigoríficos e petroleiras com domicílio fiscal em países europeus, bem como companhias aéreas que fazem seus leasings de aviões na Europa, estão entre os potenciais afetados pela norma.

A DAC 6 entrou em vigência no dia 1º de julho e exige que as empresas enviem às autoridades europeias informações sobre práticas tributárias desde junho de 2018, quando foi aprovada. Elas têm até o fim de agosto para fazer isso. A partir de então, os reportes devem ser feitos regularmente, com atraso máximo de 30 dias sobre o benefício recebido – um subsídio, alguma renúncia fiscal, alíquota tributária diferenciada.

Independentemente da legalidade da operação, segundo tributaristas e consultores, há necessidade de relatar as operações. Se isso não for feito, corre-se o risco de multas que podem chegar a € 830 mil (na Holanda) e a € 5 milhões (caso da Polônia).

Em relatórios, a consultoria EY alerta para o fato de que “intermediários” em território europeu também são obrigados a declarar. A exigência serve para instituições financeiras, advogados, contadores envolvidos na assessoria tributária. Isso aumenta as chances de uma empresa ser pega simplesmente deixando de prestar as informações requeridas. Mal comparando, é como se houvesse contradição entre um contribuinte e um prestador de serviços nas respectivas declarações de IRPJ.

Fonte: Valor Econômico

Entre em contato





Camargo Advogados

Seja o primeiro a saber

Tantos anos de excelência no mercado se dão devido à preocupação em acompanhar as mudanças do cenário judicial brasileiro e garantir uma equipe altamente profissional, em constante atualização acadêmica e com atuação nos diversos ramos do direito.

Facebook Instagram Linkedin Youtube

Av. Paulista, 509, cj. 06, Centro - São Paulo/SP | CEP: 01311-910
Av. Amazonas, 225 - Centro - Arujá/SP | CEP: 07402-085

+55 11 4655-3555

Receba novidades sobre o segmento e seja notificado sobre novos eventos. Não se preocupe, não enviaremos nenhum Span.

© Copyright 2022 - Camargo Advogados - Todos os direitos reservados